quinta-feira, 5 de março de 2009

Desgraça alheia

Perguntaram-me se eu era feliz. Eu respondi que sim.
Desde então, todos olhavam para mim com sorriso aberto... Um olhar maldoso...
E pensavam:

- Bem feito!


---------------------------------------------------------------------------------------------------

Paulo Leminski escreveu:

Manifesto

ave a raiva desta noite
a baita lasca fúria abrupta
louca besta vaca solta
ruiva luz que contra o dia
tanto e tarde madrugastes.

morra a calma desta tarde
morra em ouro
enfim, mais seda
a morte, essa fraude,
quando próspera

viva e morra sobretudo
este dia, metal vil,
surdo, cego e mudo,
nele tudo foi e, se ser foi tudo,
já nem tudo nem sei
se vai saber a primavera
ou se um dia saberei
que nem eu saber nem ser nem era

Uma boa quinta-feira!

Um comentário:

Laura Santos disse...

Adorei o texto "desgraça alheia"!!! aushaushaush
Vou copiar... (com as devidas referências...)
Bjs
ps. O Leminski tb é um MUST!!!