domingo, 24 de julho de 2011

Andar Brincar biCicletar

Eu que nunca andei
de bicicleta,
encarei de uma
só vez aquela
"magrela".

Eram passos
descoordenados,
mal elaborados,
tropeçando nos
pedais...
Foram tombos
imprecisos
nos bambus e
lamaçais...

Chinelos
arrebentados,
filete de pele
rasgado na
raça e mais
uma porção
de roxos pra
coleção.

E por fim o
além... Ventinho
manso levando o
guidom... Firme
na direção.

Encarou os
buracos, desviou dos
obstáculos e coroou o
sorriso no rosto,
vitorioso!

Foi na roça,
foi à "rua". Foi
da vontade
de andar, foi
por tentar que
acabei por
brincar de
bicicletar...

4 comentários:

Leonardo Ribeiro - Personal Dancer - BH disse...

Tão bom ler esta poesia e entender cada vírgula, cada "rua".

É muita emoção daí.
É muita emoção daqui.

\o/

Anônimo disse...

Adorei,
Sua alegria estampada nesta poesia, se entregou como criança num sonho de infância!!!
Bjs
Tia Marta

Juh' disse...

Lipe, adoro seus textos, adoro SEU blog, Meu!
Parabéns.

Nanah disse...

Que delícia de poema. Amei!