quinta-feira, 29 de julho de 2010

Sobre a falta que (o meu eu) sinto

Descobri que tenho certa dificuldade de ficar longe de casa por muito tempo. Mesmo estando perto de minha mãe, agora sinto falta daqueles que deixei lá,  no Brasil, estado de Minas Gerais, cidade de Belo Horizonte, região Leste, bairro Paraíso, rua... Minha casinha, com meus tios, meu quarto, minha cama, travesseiro, escrivaninha, livros!
É mesmo difícil se sentir completo, se de lá, sinto falta do que tenho aqui, minha mãe... Aqui eu também sinto um buraco enorme. A verdade é que eu não consigo viver sem esses dois mundos. E pensar que estou no meio da minha viagem ainda, passou tão pouco para eu estar sentindo essa saudade...
Eu gosto de rotina, dos meus compromissos, acorda às 6h pra chegar à faculdade às 7h30, tal hora eu tenho que ir pra natação, quarta é dia de Saia Justa, no canal gnt, às 22h30, sexta é dia de balada com os amigos, domingo é dia de ir pra casa da vó.
Em BH eu tenho a liberdade de ir pra qualquer canto sem depender de ninguém. Basta eu pegar um ônibus, um taxi, que eu consigo chegar aonde eu quero. Eu sei como ir, na maioria das vezes. Aqui é mais difícil, logicamente por ser um novo lugar, preciso aprender quais ônibus tomar, como funciona o sistema ferroviário, bastante utilizado pelos norte-americanos, ou então ir de carro, com alguém, para os lugares que pretendo. Nessas horas eu vejo o quanto sou acomodado com as coisas, apegado ao fácil. Vejo como é difícil, se é que é mesmo, sair dessa zona de conforto e aprender a me virar em outro lugar. 
A rotina da maioria dos brasileiros que conheci até agora é bem corrida. Trabalha-se muito, no entando sua mão-de-obra é valorizada. No verão, como agora, nos finais de semana, os amigos se reunem para fazer churrasco do lado de fora da casa, beber, bater papo... Conseguir as coisas aqui é bem mais fácil, as coisas aqui não são tão caras como no Brasil. Em Philadelphia existe um bucado de bar/boate brasileiro, que toca axé, funk, sertaneijo (ecate!). Mas o mais interessante é que aqui essas festas só podem ficar até 2h da madrugada, é lei. Depois disso todos esses estabelecimentos se fecham e o povo vai para as "after party" na casa dos outros. 
Felizmente esta é só uma viagem, embora eu tenha muita vontade de vir para cá passar um semestre, ou o período das minhas férias (três mêses) com minha mãe, aproveitando também para fazer algum curso de inglês. Aqui eu estou pegando uma maior fluência, vejo que eu entendo muita coisa. Às vezes, por nervosismo, eu ouço, acho que não entendi o que a pessoa falou, pergunto de novo e quando a pessoa repete eu vejo que eu sei o que está me dizendo.
Eu também tenho visitado bastantes lugares, estive no centro de Philadelphia que é maravilhoso, passeei em alguns mall, fui à Atlantic City, em New Jersey, onde há praia e Cassinos no calçadão e ontem eu fui pra New York, cidade que tanto me encanta... Mas essa viagem já valeria só pelo convívio com minha mãe. É tão prazeroso estar perto dela, sempre tão bem-humorada, engraçada... Com ela não tem tempo ruim. Eu não quero nunca me acostumar com essa distância que nos separa. Às vezes eu penso que não, mas eu vejo que ela me faz muita falta...
Espero um dia poder conciliar esses dois mundos. Não vai demorar, logo logo eu virei para cá e irei embora junto com minha minha mãe. E tenho certeza que ao chegar no Brasil será a maior festa.  Sei que muita coisa mudará, assim como mudou quando ela decidiu vir para cá. Como toda mudança, terá suas perdas e ganhos, mas só de não ter mais essa distância, tenho por mim que será bem melhor.

3 comentários:

Anderson Alves disse...

Saudade dói. Se você está aqui, sente falta de sua mãe. Se você está nos EUA, sente falta de seus tios.
Saudade é paradoxo.

Luciana Fiuza / Laura Santos disse...

Flip, adoorei a cara nova o seu blog (nem sei quanto tempo tem, mas há tanto tempo eu não venho que prá mim é novo... gostei também de perceber a evolução da sua escrita e reitero aqui minha disponibilidade para crítica, como você me solicitou um dia. Vejo que vc cresce não só em tamanho mas também em grandeza... o que é essencial. Tou de volta com meu blog... passa lá tb viu! bjsss Luciana

Augustto disse...

I loved your blog!
Sensacional. Indescritível. Gostei bastante e, se lhe apetece saber, eu te lerei a partir de hoje.
¡Besos!