sábado, 27 de setembro de 2008

Vida boa, vida efêmera!!!


Estou cheio de planos, o que não é uma novidade. Minha mente passa boa parte do tempo tendo idéias, ansiosa para novidades, mais e mais informações, me desculpe a redundância, mas nunca é demais! É mais ou menos assim que funciona.
Qualquer tempinho que sobra, nessa correria da vida, eu procuro fazer algo produtivo. Vejamos bem: procuro! Nem sempre eu consigo, meus maiores vilões são: orkut e msn. Felizes aqueles que não se prendem a isso. Isso pareceu um pouco bíblico, mas...
Apesar de perder tempo com internet, até que consigo aproveitar bastante meu tempo, a vida em geral. Esse ano ganhei de aniversário um livro com a dedicatória que dizia mais ou menos o seguinte: a vida é efêmera, por isso curta intensamente. Uma coisa assim, a preguiça me impede de levantar daqui e pegar o livro para ler como era a frase.
Com isso, essa semana fui ao Palácio das Artes porque vi que iria ter o Cefar Ciranda com oficinas bem interessantes voltadas para a área de teatro, música e dança. Como sempre, as inscrições para as oficinas já haviam começado fazia um tempo e eles só anunciaram no outdoor uma semana antes, praticamente. Infelizmente, ou felizmente, não tinham vagas voltadas para a área de teatro, não diretamente. Fui aconselhado a assistir sobre o Painel Histórico Social do Jazz.
As oficinas foram hoje, dia 27 de setembro. Foi maravilhoso, excelente. Eu nunca tive um contato direto com jazz, mas me interessei bastante depois de participar desta oficina. Foi dada por Rodolfo Padilla, me parece que ele dá aula de música no Cefar. Ele é violinista também, inclusive tocou durante a "aula".
Com certeza, foram as três horas mais bem aproveitadas dos últimos tempos, sem gastar nenhum centavo, entretenimento de graça. Eu poderia colocar aqui algumas anotações que fiz (coisas que consegui captar ao longo da palestra, frases soltas, dados históricos, etc), mas não ficaria tão bom.

Um comentário: