quinta-feira, 30 de abril de 2009

Refúgio


Bom... É... Meu nome é... Bom, eu queria começar... É! Eu não estou bem. E dizer assim, pela primeira vez, eu não conheço o grupo ainda... Eu fico sem graça.
Eu sei, eu sei que eu posso ficar a vontade, se isso bastasse. Se, sabendo disso, eu conseguisse dizer alguma coisa, mas veja só, eu já estou dizendo... Eu falo muito, falo nada...
Eu não estou bem, eu sei que não estou bem... Foi até por isso que eu resolvi vir aqui, eu preciso de um refúgio. Um lugar para falar, mesmo que eu não fale nada com nada, mas... É para falar. Falando, já está bom, não é? É... Bom, se eu pudesse cantar, a música que me vem a cabeça são os gritos de Ana Carolina... Seu Jorge: Não Vou Nada Bem! Aquela que todo mundo suicida... Não, jamais! Não estou falando em suicidar, muito pelo contrário, se eu vim aqui é porque eu quero viver. Viver de uma forma melhor, entendem?
Eu estava ouvindo a história de todos vocês... É, a vida de ninguém é fácil, mas a minha às vezes parece ser mais difícil do que as outras... Não sei o porquê. Talvez seja porque eu a vivo... É... É isso, o problema sou eu.
Eu estou sem graça de começar a falar, logo de cara... É a minha primeira vez aqui no grupo. Isso é normal, não é? Assim, ficar sem graça, na primeira sessão. Eu não conheço ninguém. Além de eu não me conhecer, eu não conheço ninguém aqui...
Estou abafado, descobri isso. Eu sinto que estou abafado. Muito! Nossa!
Bom... Era só isso mesmo, por hoje... É que... Eu não estou bem.

Um comentário:

.hugo rocha. disse...

li, ^^

mas não tenho comentários