domingo, 24 de abril de 2011

Meu! aniversário

Pensei, repensei. Escrevi, desmanchei... Tentei resgatar o que ainda restava de Filipe no Filipe que sou. Bolei vinte chatíssimos aforismos e quase no final percebi um tanto de mim em mim mesmo. Pelo visto nada mudou e eu continuo vivo! E festejo meu vigésimo aniversário com a emergência de bicho ave recém nascida das cinzas:

A Gravedez de um Mito

O sol provocara
a Terra naquele
dia. Logo cedo
se percebeu 
temperatura d'água
se elevando.

O mar se 
agitava. Espumava, 
tomado por 
tamanha bravura.

Via-se borbulhas: 
moléculas d'água 
engravidando, 
virando bolha.
Bolsa embriagada
de líquido
amniótico.

Era possível 
enxergar o embrião
vermelhosangue
sofrendo mitose:
Bicho se
fazendo ave.

A bolha
se protegia.
Criava casca.
Mantia temperatura 
e protegia sua
cria de outras
vias, de
outras vidas. 

E o bicho
estremecia.
Bicava, bicava
e anunciava
que estava de 
partida.

De fora,
via-se o ovo 
ágiltado.
Fruía de
pouco espaço.

E aos
poucos se
ouvia os
primeiros
pios. E
se via ave
de penas
vermelhofogo
ganhando
corpo.

Renascia
então a fênix.
Bichomito
renegociando
a vida.

Carregava
consigo a
memória de
antigos vôos
com o viço
de uma
nova vida. 

P.s.: Pouco depois de eu ter completado uma década minha mãe se mudou para os EUA e a vida por aqui ficou bem diferente. Do despertar dessa décimasegunda primavera eu espero pelo seu retorno, ambiciono um prazeroso futuro profissional e só peço a Deus que a Arte nunca me abondone, pois sem ela, como diria Renato Russo: "eu nada seria". É isso, um feliz aniversário!

2 comentários:

.hugo rafael rocha. disse...

só 20 aninhos... ai ai ai

inveja

hahaha

adorei,

(:

Jonas Carneiro Silva disse...

Olha, uma década de vida é um presente repleto de experiências. É bom guardar essa poesia, pois em uma década você olhará para ela como quem reencontra um antigo eu. Meus parabéns para você Lipe!